MAC: aos poucos, o Museu de Arte Contemporânea vai ocupando o gélido prédio de Oscar Niemeyer, que servia como sede do DETRAN, com ótimas exposições

Há alguns meses fui a um evento que rolou à noite no MAC-USP que fica em frente ao parque do Ibirapuera – era a Heineken Experience. Lamentavelmente não pude visitar o museu, o que acabei de fazer no início deste mês. Fiquei impressionado com a comodidade do estacionamento, gratuito e enorme, que o museu oferece, ao menos nos finais de semana, e também com o tamanho da exposição, pois o museu conta com 7 andares recheado por obras e exposições das mais diversas, que fazem parte do enorme acervo que conta com 12 mil obras. Claro que nem todas estão expostas, o que nem faria sentido, pois todo bom museu no mundo apresenta apenas parte do seu acervo, que se renova a partir de exposições temporárias, o que deve acontecer por aqui. Vale lembrar, no entanto, que o MAC ocupou o gélido prédio do antigo DETRAN há poucos anos, e então, o trabalho dos curadores tem sido o de rechear seus andares com exposições interessantes que mostrem toda riqueza cultural deste brilhante acervo. Porém, é triste ver um museu desta envergadura vazio, e com turistas, em sua maioria, de fora da cidade. Nós, paulistanos, não aproveitamos tudo o que a cidade oferece, e por vezes reclamamos que não há nada para fazer na cidade! Não é verdade, e eis aqui uma mostra disso. As exposições não seguem uma regra muito específica, especialmente em relação à cronologia, mas existe sim uma certa organização entre os andares para facilitar a visita. Sugiro que você suba ao 7º andar e vá descendo até o 1º andar e então ao Mezanino, de forma a otimizar seu tempo. Lá em cima, você encontrará dois andares com a exposição permanente, chamada de “A Instauração do Moderno” que conta com quase 200 obras, todas do século XX, que ficarão expostas por 5 anos. O foco aqui é mostrar o processo de instauração da arte moderna no Brasil. Não é uma mostra exaustiva, porém permite ao público passar pelas principais escolas e movimentos artísticos do século passado com obras de alto calibre. Não citarei os nomes dos artistas expostos, pois são tantas obras nestes e nos outros andares, que dificilmente você deixará de encontrar algo do seu artista favorito. Mais abaixo vem a exposição “Reserva em Obras” que mostra um pouco dos bastidores do museu, pois não é apresentada sob um tema especifico ou sob escolhas curatoriais fechadas. Esta exposição oferece ao visitante a oportunidade de dedicar seu olhar no que mais lhe interessa, e oferece à equipe do museu, a possibilidade de encontrar novas articulações que poderão ser expostas em novas exposições. Ainda que não seja tão fácil lidar com esta “modernidade” gostei deste toque de improvisação do museu, enquanto o mesmo não é finalizado. Outra exposição interessante se intitula “A casa”, que retrata o célebre poema de Vinicius “Era uma casa, muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada”, pois através dos elementos de uma casa, faz refletir e ressignificar o uso e as funções das coisas, seja na casa, seja na arte. Outra exposição que me chamou a atenção se chama “Vizinhos Distantes”. Ela traz obras do nosso continente como contraposição ao caminho habitual de valorizarmos obras do Hemisfério Norte, ou seja, dos nossos colonizadores. Esta relação colônia-metrópole fez com que ao longo da história não houvesse nem diálogo nem valorização pela arte destes vizinhos, e por este motivo, o repertório artístico deles é tão distinto do nosso. Trata-se de uma exposição heterogênea, híbrida e mestiça, que lança um novo olhar à integração para com estes países, que ao final, têm tanto em comum conosco. Como principal ponto a melhorar, o MAC, que guarda a palavra Contemporâneo em seu nome, e que fala tanto sobre a modernidade, é pouco moderno! Falta um aplicativo, ou guias áudio visuais, ou visitas guiadas aos finais de semana sem que seja necessário agendar previamente, para auxiliar os visitantes a navegarem mais profundamente pelas exposições. O melhor que tivemos de interatividade em nossa visita foi um segurança pró-ativo e “fofo” que por boa vontade, nos explicou uma parte da exposição 😉. Ufa, cansei! E olha que deixei de lado outras ótimas exposições que estão rolando no MAC. Tenho certeza que vocês poderão refletir sobre elas assim que o visitarem, e não se esqueçam de dar uma paradinha no charmoso Vista Café que fica no mezanino, motivo de outro post aqui no CurtaSP.

Avaliação geral: 8,1/ Acervo: 9,0/ Estrutura: 7,5/ Interatividade: 7,5

Escreva um comentário