Tag

contemporâneo

Browsing

Tuju: menu com pratos sazonais, tirando o melhor dos ingredientes em preparações incríveis

Tuju: horta própria, ambiente moderno e atenção aos mínimos detalhes

Tuju: um dia desses fui conhecer um restaurante que já estava a um bom tempo querendo ir. Então fiz minha reserva e me programei para em uma quinta-feira almoçar no Tuju. O Tuju possui duas estrelas Michelin, e oferece gastronomia contemporânea, onde o menu é trocado a cada estação aproveitando o frescor e sazonalidade dos ingredientes da época. Outra coisa que me chamou a atenção é fato do menu ter uma versão vegetariana, e observando os pratos que iam para as mesas, não perdiam em nada para os outros, tudo parecia muito bem elaborado e aproveitado. Há também diferentes opções de menu, cabendo assim em todos os bolsos, e você pode pedir também qualquer prato separadamente. Os menus podem ser pedidos com harmonização, o que, infelizmente, nesta experiência não foi possível, pois, eu ainda teria um longo dia de trabalho pela frente. O restaurante é todo envidraçado e tem a cozinha aberta, é um  ambiente acolhedor sem muito luxo, seu salão é bem simples, mas confortável. Optei pelo menu mercado, que é servido no almoço de terça a sexta-feira, exceto nos feriados. Ele oferece, couvert, duas entradas, dois pratos principais e uma sobremesa. No couvert saboreei um pão rústico e manteiga produzidos pela casa e azeite da Serra da Mantiqueira. De entradas foram saladas de tomate, tapenade de algas e koji e lagostim, pamonha cogumelo e uni, entradas bem apetitosas. Os pratos principais foram, pescado do dia com cabelo de anjo de salsão e alho poró com tupinambo e semente de manjericão e copa lombo de javali, purê de pastinaca, kimchi e azedinha, nos pratos o chef utiliza as pancs (plantas alimentícias não convencionais), o que para mim foi uma experiência nova e bem agradável. Para sobremesa, goiaba, erva doce e sorvete de mofo branco, encerrando o almoço com frescor!

 

Avaliação geral: 8,6 / Comida: 8,5  / Ambiente: 9,0 / Serviço: 8,5

Extásia: charmosa casa contemporânea serve pratos delicados, potentes e incríveis com toque asiático

Extásia: o famoso chef Flávio Miyamura mostra o melhor da cozinha asiática em nova empreitada na Vila Nova Conceição

Extásia: confesso que fiquei muito bem impressionado com esta nova casa na Vila Nova Conceição, que combina um ambiente charmoso com ótima gastronomia e ótimos vinhos, por estar localizada no andar superior de uma das unidades da importadora de vinhos Grand Cru. Visitamos o Extásia no horário do almoço num domingo de sol, o que deixou a visita ainda mais interessante, pois o restaurante oferece uma vista muito bonita para o pessoal que fica sentado na área da sacada, aonde, por sorte, pudemos nos sentar. Já no restaurante, soubemos que poderíamos escolher um vinho na loja no piso anterior e pagar apenas R$15 como taxa de rolha para poder consumi-lo no Extásia, o que nos pareceu um grande incentivo para tomarmos um ótimo vinho com preço bem razoável. Ficamos com um tinto francês neste dia, que acompanhou os pratos deliciosos que estavam por vir. Assim como sempre demos uma olhada no cardápio e nas páginas do Instagram e do Facebook do restaurante para eleger os pratos do dia. Durante esta pesquisa, inclusive, aprendi o significado do nome da casa que mistura as palavras êxtase e Ásia. De fato, o que estava por vir seriam pratos de cozinha contemporânea, que mesclam sabores, temperos e sensações asiáticas, numa mistura balanceada e única entre salgado, doce, ácido, azedo, amargo, picante, cítrico, que certamente encantarão o seu paladar. Para a entrada, ficamos com uma saladinha de abobrinha crua em lâminas, delicadamente temperada com vinagrete de tangerina, queijo de cabra e amêndoas tostadas, e com o famoso prato de cogumelos erynghi empanados e fritos que são temperados com molho tonkatsu e acompanhados por um leve creme de berinjela defumada. Sem dúvida, um dos pontos altos do almoço que estava somente começando. Segui com a ótima e macia barriga de porco que chegou desmanchando, acompanhada por um perfumado arroz de jasmin, e perfeitamente temperada com mel, especiarias e gochujang (condimento coreano feito com pasta fermentada de pimenta malagueta, arroz, soja e sal) que deu um toque potente e incrível ao prato. Pedimos também o famoso arroz de pato com chorizo e kimchi. Um prato saboroso e potente, e mais uma vez, muito bem temperado com notas e aromas da cozinha coreana, que eu, particularmente adoro, e que me fez lembrar do delicioso Komah, um restaurante que serve o melhor da cozinha deste pequeno, porém populoso país asiático! Para fechar o dia, dividimos o bolo de chocolate com creme inglês, delicadamente temperado com cardamomo. Amamos nossa tarde por aqui, e é por este motivo que voltaremos, mas agora com amigos, pois o ambiente convida para um papo sem hora para acabar.

Avaliação geral: 8,7 / Comida: 8,5 / Ambiente: 9,0 / Serviço: 8,5

Mondo Gastronômico: charmosa casa no Jardins serve a mais saborosa e criativa comida italiana de SP

Mondo Gastronômico: o chef Salvatore Loi segue encantando a cidade ao abrir restaurantes modernos e descolados que servem o melhor da gastronomia italiana em SP

Mondo Gastronômico: é impressionante, mas o renomado chef Salvatore Loi me traz a mente a história de Midas, um personagem da mitologia grega, que transformava em ouro tudo o que tocava. Não me canso de visitar suas casas e sair absolutamente impressionado com a criatividade, apresentação e sabor dos seus pratos. Semana passada estive em sua outra casa, o MoMa ou Modern Mamma Osteria que fica no Itaim, curtindo minha esposa e aquele dia lindo, e neste feriado, depois de assistir à brilhante peça estrelada pela Débora Falabella, Love Love Love, voltei ao Mondo Gastronômico para reverenciar o mestre mais uma vez. Era tarde, tipo 22:30 horas, no dia do feriado, e então não havia fila nem nada. Nos sentamos em uma mesa próxima a janela e começamos com a nossa tradicional garrafa de Chardonnay. A casa tem aquele ar descolado, sabe? A decoração é moderna e a cozinha fica bem a mostra do pessoal alocado no andar de baixo, que me parece mais divertido. A noite, o restaurante é local ideal para casais numa noite mais animada ou para amigos colocarem o papo em dia, afinal a gente só vê gente bonita e sorridente na casa. No horário do almoço, a casa pode muito bem ser palco de um almoço de negócios durante a semana, ou de um almoço de família no final de semana, ou seja, serve para todos os públicos! Nesta noite, enquanto namorávamos o cardápio, pedimos uma burrata de entrada. Ficamos malucos com a textura super cremosa da burrata e com a combinação do seu sabor com a crostinha de azeitonas pretas e com as raspas de chocolate branco que vinham por cima e por baixo da burrata. Foi, sem dúvida, a melhor burrata que provei nos últimos meses! E olha que ainda tínhamos em nossa memória o Ovo com foie gras sobre cogumelos frescos salteados, que provamos na casa um tempo atrás, que estava divino! A mistura entre as diferentes consistências destes elementos que trazem sabores marcantes faz com que esta entrada seja imperdível! Minha esposa ficou com o Cabrito ao forno, que era acompanhado por abóbora confitada e avelãs torradas. A carne quase desmanchava e estava perfeitamente temperada, e a sua combinação com a textura da abóbora e o crocante das avelas conferiam ao prato um sabor único! Eu fiquei com o Pappardelle di salsicce, feito com molho vermelho e ragu de linguiça. Parece simples, é verdade, porém a picancia muito acertada do prato aliada a alta qualidade da massa e da linguiça deixaram seu sabor surpreender meu paladar. Vale falar sobre a lasanha ao tartufo nero, feita de com ragu de vitela, trufas negras e fonduta de grana padano que foi devorada por nós em outra visita, assim como sobre a porchetta ao forno com purê de maçã verde e purê de batatas com queijo que também foi sucesso da outra vez que estivemos por aqui. Para fechar, pedimos o clássico tiramisu, que esbanjava cremosidade e delicadeza. Assim como as demais mesas, não estávamos preocupados com o horário ou com o dia seguinte, ainda que fossemos levantar cedo para visitar a minha família na bela e pacata, porém longínqua Santa Rita do Passa Quatro. Por este motivo, segui curtindo o papo, o vinho, a animação da casa e a minha loirinha que estava, neste dia, especialmente linda 😉

Ema: casa nos Jardins oferece ambiente descolado e comida primorosa para galera jovem e animada

Ema: pequena casa do Grupo Marakuthai faz sucesso desde a sua inauguração e se torna reduto de jovens descolados nos Jardins em busca de muito sabor e agito

Ema: confesso que fiquei apaixonado por este pequeno restaurante nos Jardins. Passamos em frente a ele, sem querer, em um dia de semana, e a casa estava cheia de gente bonita e animada, em sua maioria, conversando e esperando uma mesa, pois a procura parecia muito maior do que a oferta de lugares no pequeno salão do restaurante. Logo fui buscar referencias na internet, e o que mais vi eram comentários positivos a respeito da casa. Não pensei duas vezes e na primeira oportunidade fomos ao restaurante. Era uma noite quente e a casa estava cheia. Chegamos cedo, pois não tínhamos reserva, e por saber que o restaurante lotaria rapidamente. Ainda assim, tivemos de esperar, mas por pouco tempo, algo como 20 minutinhos. Ficamos acomodados num balcão, que fica no salão principal, o que foi ótimo, pois além de já começar a tomar o nosso vinho tinto, pudemos ver os principais pratos saindo da cozinha para as mesas, o que viria a facilitar as nossas escolhas. O ambiente é colorido, escurinho e super aconchegante. Uma gracinha! Considero o Ema como um dos restaurantes contemporâneos mais jovens e descolados da cidade, e por isso a nota em relação ao ambiente da casa é tão alta. Logo que sentamos a mesa, pedimos aqueles pratos que nos impressionaram enquanto estávamos no balcão à espera da mesa. Vale lembrar que a casa é do grupo do Marakuthai, restaurante conhecido por servir pratos delicados e saborosas, que misturam a culinária tailandesa com a culinária baiana, em suas outras casas que ficam nos Jardins e no Itaim, e também em seu serviço de buffet, que inclusive fora contratado para trabalhar na festa do meu casamento no mês passado. E não é que o sabor, a apresentação, e a criatividade dos pratos estavam demais? A começar pela entrada de Alcachofra com burrata, temperada com azeite com linguiça, limão siciliano e manjericão, que estava delicada e saborosa. Os pratos principais estavam igualmente bem feitos, tanto a coxa de pato confitado, acompanhada de purê de queijo, molho de goiabada e pimenta verde, como também o filé mignon com molho de romã, arroz de milho com linguiça, quiabo e farofa de pão. Tudo do jeito que a gente gosta, no melhor esquema minimalista, onde cada detalhe da apresentação, da textura e da mistura de sabores conta para agradar e impressionar o paladar. Para a sobremesa, ficamos com a tortinha de mil folhas com mirtilo, que estava crocante e que tinha sabor, consistência e leveza fora de série. O atendimento foi cordial, porém não foi dos mais pessoais e acabou sendo um pouco lento, o que não chegou a comprometer a noite, pois já sabíamos que isso poderia acontecer dada a lotação da casa. Meu conselho? Curta bastante a comida e o ambiente, mas vá sabendo que poderá ter espera e que os pratos podem demorar a chegar.

Avaliação geral: 8,8/ Comida: 9,0/ Ambiente: 9,0/ Serviço: 8,0

Evvai: nova casa no Jardins impressiona com pratos marcantes, temperos delicados e muita criatividade

Evvai: casa comandada por talentoso chef de 28 anos é alçada ao topo da culinária paulistana devido a criatividade dos pratos, e delicadeza de temperos e sabores

Uau! Devo confessar que ficamos absolutamente impressionados com o sabor dos pratos do Evvai, e por este motivo, a casa recebe a melhor nota em relação a comida neste ano, ao lado de 2-3 outros ótimos restaurantes. Com este disclaimer, já deu para entender que a noite foi uma delícia por aqui, certo? Faltou dizer, no entanto, que a noite era especial, pois era a comemoração do meu aniversário com a minha esposa, que secretamente reservou uma mesa por aqui, e que mais uma vez, me faz conhecer um restaurante fantástico. Aliás, imagino que isso aconteça muito com as meninas que seguem este blog, afinal, na grande maioria das vezes, são as mulheres que descobrem o que está rolando na cidade para então levarem seus parceiros, amigas e familiares. Logo na entrada do restaurante, a hostess nos levou a nossa mesa, que ficava de frente para a cozinha, o que nós particularmente adoramos, pois podemos ver como os pratos são preparados, sentir um pouco do calor da atmosfera da cozinha, e por vezes conversar com o chef sobre os pratos. O ambiente é informal e agradável, e convida para um jantar tranquilo, sem pressa, sabe? Exatamente por isso, começamos por pedir um bom vinho tinto para acompanhar o jantar na enxuta, porém honesta, carta de vinhos, que oferecia boas opções a preços razoáveis. Foi só então que abrimos o menu, e não é que dava vontade de pedir tudo?!? Por este motivo, elegemos o menu degustação de 7 etapas como a escolha da noite. Sorte a nossa pois a criatividade das apresentações, a inteligência nos contrastes das texturas dos alimentos, a delicadeza dos temperos utilizados, e o sabor marcante dos pratos degustados, nos fizeram sair apaixonados pelo restaurante. Sensacional! O menu deve mudar de tempos em tempos, mas ainda assim, acho que vale a pena trazer aqui os pratos que nos deixaram tão bem impressionados, até para que vocês possam ficar com agua na boca e com mais vontade de visitar este restaurante que está sob a batuta do jovem e talentoso chef Luiz Filipe Souza, ex-pupilo do renomado chef Salvatore Loi, com quem ele trabalhou por quase 10 anos nas badaladas casas do antigo chefe. Bem, vamos ao que interessa. Das 7 etapas, eram 3 entradas, que começaram com um delicado sanduíche de viera. Logo depois veio o nhoque de muçarela de búfala servido com uma leve infusão de tomate verde, e para finalizar as entradas, experimentamos o ótimo alho poró confitado com espuma de avela e farofa. Partimos então para os 2 pratos principais. O primeiro era um ravióli acompanhado de picles e espuma de alcachofra. O recheio deste ravióli feito com queijo grana padano vinha líquido, deixando seu sabor ainda mais marcante em nossas bocas. O segundo prato principal era um suculento carré e lombo de javali, acompanhados de purê de pinholi e purê de fava, emulsão de manteiga e sálvia, ervilha torta e bochecha de porco curada. Na sessão de sobremesas, experimentamos uma versão moderna da tradicional romeu e julieta, que aqui era feita com sorbet de goiaba acompanhado de queijo da serra da canastra. E para fechar o menu, uma releitura do bolo de cenoura, feito aqui com sorvete, bolo e purê de cenoura com uma deliciosa calda de chocolate. Ah, vale lembrar que os garçons que nos atenderam a noite foram gentis e solícitos, e nos explicaram cada prato que estávamos comento. E como ponto alto, tivemos ainda uma breve conversa com o simpático chef que nos explicou sobre os elementos de alguns dos pratos mencionados por aqui, afinal, eu queria trazer o máximo de detalhes aqui para o blog 😉

Avaliação geral: 8,9/ Comida: 9,5/ Ambiente: 8,5/ Serviço: 8,5

Max Abdo Bistrô: casa charmosa e descolada encanta com pratos saborosos e atendimento impecável

Max Abdo Bistro: pequena casa que acaba de comemorar 5 anos nos Jardins, impressiona com ambiente charmoso, atendimento atencioso e pratos deliciosos

Max Abdo Bistro: nesta última segunda-feira, eu estava em busca de um novo restaurante para jantar com minha esposa. Por acaso, ao checar meu facebook, encontrei uma chamada do ótimo blog da VejaSP que dizia que o restaurante Max Abdo Bistrô comemorava 5 anos no dia seguinte, e que devido a essa comemoração, o mesmo serviria um menu completo gratuitamente ao pessoal que fosse prestigiar a casa. Não tive dúvidas e fiz uma reserva nesta casa, que já há algum tempo estava na minha listinha de locais a serem descobertos. E foi exatamente assim que eu me senti. Fazendo uma feliz descoberta! Não digo isso pelo mimo de poder ter comido de graça, mas sim, pelo ótimo pacote que o restaurante oferece. O atendimento, do início ao fim, foi muito simpático e atencioso, sendo que o chef, inclusive, veio a nossa mesa, para nos cumprimentar e saber como estava o jantar. Vimos ele ajudando o pessoal a escolher pratos, e querendo conhecer, de maneira genuína a sua clientela. O ambiente é uma gracinha, todo colorido e descolado, com mesas bem dispostas no salão, pois mesmo neste dia lotado, o salão parecia estar tranquilo. Evidentemente, tudo isso não teria tanto valor, não fosse a comida deliciosa como ela é. Ficamos muito bem impressionados com o acerto e sabor de todos os pratos que comemos. A entrada foi composta por uma polenta com três queijos, que tinha textura acertadíssima e muito sabor, e também por enroladinhos de berinjela e abobrinha com queijo de cabra que eram delicados e saborosos. Experimentamos ainda a salada do chef que trazia folhas verdes com lascas de amêndoas e morangos e uma outra salada verde feita com granola e geleia de abricot. Ambas estavam crocantes e tinham sabor levemente adocicado. Uma delícia!  Em relação aos pratos principais, fiquei maluco ao ver o chef preparando o Tagliatelle dentro do queijo grana padano no salão principal. Foi a melhor escolha que eu poderia ter feito. A massa estava ao dente como deveria ser, e o molho feito com o queijo derretido e creme de leite estava com a concentração ideal para ficar leve e saboroso, sem que fosse enjoativo. O outro prato que pedimos foi a berinjela à parmegiana. Um prato mais leve, e ainda assim, gostoso! Para a sobremesa, ficamos com o brioche assado com frutas, que fechou na medida a nossa noite. Ah, já ia me esquecendo de dizer que os pratos foram acompanhados por um ótimo Carmenere chileno ao longo da noite. Antes de me despedir, eu gostaria de elogiar a ótima estratégia de marketing da casa. Tenham certeza de que voltaremos para provar outros pratos do belo cardápio, e parabéns pelos 5 anos. Torcemos para que muitos outros 5 anos sejam comemorados a frente!

Avaliação geral: 8,7/ Comida: 9,0/ Ambiente: 8,5/ Serviço: 8,5

Lilu: casa moderninha e animada do ótimo chef André Mifano serve comida primorosa em Pinheiros

Lilu: conceito da nova casa de André Mifano faz sucesso com galera descolada que lota a casa em busca de agito e pratos saborosos para serem compartilhados

Lilu: sexta passada era dia de conhecer um novo restaurante. Demos uma fuçada no site viagem e gastronomia e achamos o Lilu, uma casa recentemente aberta pelo chef André Mifano. Ligamos e ainda tinham 2 mesas vagas as 9 da noite de uma sexta. Nos animamos e agradecemos a São Pedro pela chuva e frio que fez o povo ficar em casa naquele dia ;-). Chegamos no local, que tem uma entrada bem pequena. O salão é estreitinho e a cozinha está em nossa cara, o que é muito divertido pois podemos ver os pratos saindo e então fica mais fácil decidir o que comer. O chef estava conversando com o pessoal das mesas a frente, e isso criou um clima bacana, meio único. Devo notar que o ambiente parece meio de acampamento, com mesas bem próximas, acabamento por terminar, e bastante barulho, até porque a acústica não ajuda. Logo pensei. É bom que a comida seja fantástica, pois o espaço não é dos mais confortáveis. Segui esperançoso, pois o Mifano já me serviu comidas deliciosas em sua empreitada anterior, no restaurante Vito, que segue na Vila Madalena. Nosso garçom, muito simpático, explicou a maneira como a casa funciona. Pratos para serem compartilhados, de maneira a incentivar a comunhão entre as pessoas. Gostei! Além disso, ele nos explicou que os pratos são sempre servidos na mesma ordem que figuram no cardápio, que segundo eles fazem mais sentido para o estômago e o paladar. Interessante, não? Pedimos 2 taças de tinto, que foram colocados em um pequeno decanter, o que eu adoro, pois não fica aquela sensação incomoda de que pagamos por mais vinho do que recebemos, sabe? Começamos com uma pequena porção de queijo appenzeller com bagel e manteiga de nori, e outra de presunto cru yaguara, que estavam muito saborosos! Seguimos então para nossos pratos, sendo uma costela de boi com brócolis e o arroz de domingo, que traz rabada, linguiça portuguesa, couve e ovos. Fantásticos! Fechamos a noite com a Pera cozida com especiarias coberta com chocolate meio amargo, acompanhada de merengue italiano feito com cachaça e uva, finalizada com avelãs caramelizadas salpicadas. Preciso dizer o que achei?? O máximo! Ainda que simpático, o atendimento deixou a desejar, pois ficamos diversas vezes esperando um contato visual que não rolava para pedir algo. Ainda resumo é: vá sim ao restaurante e curta o sabor e a criatividade dos pratos e da cozinha, mas vá sem tempo pois o atendimento é distante e não fique prestando atenção nos detalhes da decoração e mobiliário.

Avaliação geral: 8,1/ Comida: 9,0/ Ambiente: 7,5/ Serviço: 7,5

Jacarandá: casa charmosa serve pratos deliciosos em ambiente intimista com atendimento exemplar

Jacarandá: restaurante em Pinheiros é uma joia a ser descoberta pelo paulistano que pode curtir também a lojinha de produtos típicos e bar no subsolo

Jacarandá: Há muito tempo frequento esta charmosa casa que fica em Pinheiros, porém devo confessar que tenho frequentado mais o restaurante devido aos ótimos descontos oferecidos através de reservas pelo Grubster e Restorando. O Jacarandá é destas pérolas escondidas, pois chama pouca atenção e tem uma entrada pequenina, mas logo que percorremos um longo corredor, chegamos a um charmoso salão, que tem um lindo pé de jacarandá no meio, que inclusive dá nome ao estabelecimento. A luz está sempre fraquinha, e o atendimento, ainda que muito próximo e atencioso, é discreto, fazendo do local espaço ideal para aquela noite de namorinho ou até para sair com amigos para um papo mais demorado. Os pratos são contemporâneos, com uma pegada Sul Americana, e por este motivo, as carnes têm papel importante no cardápio. Nem bem chegamos, e já pedimos meia garrafa de Chardonnay para acompanhar os pratos. A carta de vinhos, aliás, é extensa e equilibrada, e por isso, acaba de ser premiada! Sobre o jantar, recusamos o couvert, pois temos evitado carboidratos à noite 😊, e fomos direto para uma entradinha de Shitake na brasa. É verdade que se trata de um prato simples, porém o tempero e a textura dos cogumelos estava rigorosamente delicioso e no ponto. Antes de pedir os pratos principais, tivemos uma profunda conversa com nosso garçom, que se mostrava extremamente preparado e interessado em nos oferecer opções que satisfizessem nossas vontades, diferentemente de outros restaurantes em que sempre são oferecidos os pratos mais caros, sabe? Seguimos sua recomendação, e ficamos muito felizes. A suculenta paleta de cordeiro braseada acompanhada de um cremoso purê de batata doce e mel Capixingu desmanchava na boca. Como vocês sabem, adoro carne de porco, então não resisti à macia Bondiola de cerdo assada com mandioquinha, que tinha gordura na medida e sabor marcante. Para fechar a noite, pedimos a delicada Pana cotta de coco com manga e lâminas de hortelã. Leve e surpreendente! Ah, não posso deixar de comentar sobre duas outras coisas importantes. O restaurante mantém uma lojinha com produtos típicos, como vinhos, cachaças, compotas de doces e queijos. Além disso, eles inauguraram há pouco tempo um pequeno bar subterrâneo chamado Raiz Bar, famoso por servir drinks de primeira e por ser espaço para apresentações culturais interessantes e intimistas. Veja o site do bar para entender o valor do couvert artístico, que costuma ser baixinho, tipo R$20 por pessoa, e a agenda de eventos.

Avaliação geral: 8,8/ Comida: 9,0/ Ambiente: 8,5/ Serviço: 9,0